Publicidades
Brasil

Duas pessoas viram Lázaro Barbosa na madrugada desta quinta (17)

"Estamos checando para ver se, dessa vez, a gente tem sucesso de encontrar esse sujeito e tira-lo daqui", diz o secretário de segurança pública de Goiás, Rodney Miranda.

Nesta quinta-feira, 17, os policiais que atuam nas buscas de Lázaro Barbosa, 32 anos, investigaram duas pistas sobre a localização do suspeito de ter matado quatro pessoas de uma mesma família no Distrito Federal em 9 de junho passado.

Foragido desde o dia do crime, Lázaro foi visto por dois moradores de Girassol, distrito de Cocalzinho (GO). “Estamos checando para ver se, dessa vez, a gente tem sucesso de encontrar esse sujeito e tirá-lo daqui”, diz o secretário de segurança pública de Goiás, Rodney Miranda. “Estamos literalmente caçando esse sujeito“, afirmou.

Uma das hipóteses investigadas era a de que Lázaro teria passado a noite em uma área de vale, bem em frente à base da força-tarefa, montada perto do Residencial Itamar Nóbrega 1, onde houve mais buscas. Miranda assegurou que a estratégia de buscas será mantida, mesmo com tantos dias de procura.

O secretário ressaltou ainda que a circulação de informações falsas sobre o paradeiro de Lázaro atrapalham a investigação. Nesta quarta, uma dessas informações erradas levaram os investigadores a um cemitério. “A gente tem que checar, e às vezes, a gente deixa de atender mais rapidamente uma informação procedente para ir em uma que não tem relevância”, frisa.

Equipamentos

Para tentar encontrar o foragido na mata, a polícia faz uso de drones com sensores infravermelhos e sensores de movimento. “Logicamente que se ele estiver em uma grota, não tem como”. Cães farejadores também auxiliam a polícia, que encontrou uma camiseta manchada de sangue que pode ser de Lázaro e usa a peça de roupa para orientar os cães. De acordo com Miranda, Lázaro se movimenta sobretudo durante a noite. “Essa mata aqui é muito difícil de ser visualizada”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Correio Braziliense

 

 

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo