Geral

Empresário acusado de estuprar filho é preso por não pagar pensão

O empresário Robervani Lima Machado Ferro, proprietário de uma rede de pizzaria na zona Leste de Teresina, foi preso na quinta-feira (13), por não pagar a pensão alimentícia com débito no valor de R$ 44 mil. O réu também já foi condenado a 20 anos de prisão pelo crime de estupro de vulnerável contra o próprio filho, com decisão de junho de 2018, proferida pelo juiz Raimundo Holland Moura de Queiroz, da 6° Vara Criminal da Comarca de Teresina.

A apuração jornalística do repórter Kilson Dione, da Rede Meio Norte, teve acesso a sentença condenatória do caso de estupro que corre em segredo de Justiça, contudo Robervani pode recorrer da condenação em liberdade. No entanto, o empresário foi preso ontem em um processo civil por não pagar a pensão alimentícia do filho.

De acordo com denúncia da mãe, os abusos aconteceram quando o filho do casal tinha apenas 3 anos, e a criança começou a apresentar mudança no padrão de comportamento, passando a adotar brincadeiras de cunho sexual. Nesse momento, a mãe passou a levá-lo ao psicólogo, que a orientou a afastá-lo de todas as pessoas do seu convívio e iniciar uma investigação policial.

O caso foi levado para Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente, foi aberto um inquérito policial e o crime foi comprovado através de exame de corpo de delito e foi constatado que o autor seria o empresário. Ainda segundo relatos da denunciante, o ex-companheiro passou a ameaça-la de morte e foi então formalizada a denúncia, sendo comprovado o crime de estupro cometido pelo próprio pai da criança. O réu foi condenado em primeirainstância a 20 anos por estupro de vulnerável com materialidade e autoria comprovada.
Fonte: Meio Norte
Comentários
Mostrar mais

Artigos relacionados

Fechar