Publicidades
Geral

Empresários pedem reabertura das atividades econômicas em protesto e desrespeitam distanciamento em Teresina

Empreendedores dos mais diversos ramos – médios e pequenos empresários – seu reuniram em frente a Prefeitura de Teresina, na manhã desta quinta-feira, 28, pedindo a reabertura das atividades econômicas.

Centenas de trabalhadores entre empregadores e empregados estão enfrentando dificuldades financeiras devido ao fechamento dos estabelecimentos comerciais por conta da pandemia do novo coronavírus (COVID-19).

Durante o ato a maioria deles utilizavam máscaras, mas não respeitaram o distanciamento social que é de dois metros de distância entre pessoas.

Adriana Martins que é presidente do Sindicato dos Donos de Salão de Beleza, em Teresina, esteve no ato e enfatizou a necessidade  de reabertura. “As pessoas estão passando por necessidades básicas porque o estabelecimentos estão fechados”, disse.

O proprietário de uma construtora, empresário Eduardo Cosme, que emprega cerca de trinta trabalhadores, destaca que a construção civil e toda cadeia ao redor permanece parada. “Quanto mais demorar mais difícil é sair da inércia”, comentou.

No decorrer da pandemia muitas empresas já demitiram e estão se preparando para mais demissões.

O governador Wellington Dias admite a retomadas das atividades e marcou para a próxima semana um encontro com representantes dos mais diversos setores.

Entretanto, a taxa de transmissão da doença e o percentual de leitos de UTI estão entre os principais fatores de alerta quanto a decisão de reabertura.

As empresas e órgãos públicos deverão seguir o protocolo determinando medidas de higiene para garantir segurança dos trabalhadores e clientes.

Em relação a reabertura, a diretora da Vigilância Sanitária, Tatiana Chaves, disse que é importante observar como o trabalhador vai estar dentro do local de trabalho e em exposição nas suas diversas atividades, quais os riscos sanitários que estará correndo e como poderá ser minimizado.

“Todo esse estudo está sendo feito através de métodos científicos iniciado há mais de trinta dias, mas não temos nenhuma ainda data e nenhum segmento definitivo que vai iniciar as atividades”, disse a diretora.

Sobre o assunto o secretário de Fazendo, Rafael Fonteles, concorda com a preocupação por parte dos empreendedores, avalia o protesto de forma legítima e que há preocupação dos governantes para com a economia e empregos.

“Os protocolos de reabertura já estão sendo conduzidos pela Seplan e Sedec em conjunto com a Sesapi. No entanto é importante voltar as atividades com segurança para a sociedade sem ter que retornar. Se ficar nesse vai e vem de lockdown como já aconteceu em alguns países e estados brasileiros teremos um pior cenário para a economia. O isolamento deve seguir até o dia 07, conforme decreto do governador”, destacou.

Fonteles disse que na próxima semana deverá ser apresentado o protocolo de reabertura gradual contendo medidas que garantam segurança para que os agentes econômicos, consumidores, trabalhadores e empreendedores voltem aos poucos a normalidade e funcionamento.

O secretário reforça também que não adianta abrir a economia por um decreto e a população, assim como os trabalhadores continuarem com medo do efeito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Cidades na Net com informações do G1 Piauí

Comentários

Artigos relacionados

Fechar
Fechar