Publicidades
Politica

Francisco Limma cita dois critérios para definir o candidato da base governista em 2022

O presidente estadual do PT, deputado Francisco Limma, afirma que a base governista deverá utilizar dois critérios para a escolha do candidato à sucessão do governador Wellington Dias (PT), em 2022. O grupo de partidos analisará o nome capaz de unir as lideranças e o desempenho nas pesquisas eleitorais.

Segundo ele, o nome do secretário de Fazenda, Rafael Fonteles, não seria o único do PT. Limma afirma que a legenda não descarta a vice-governadora, Regina Sousa, que pode assumir o governo, caso Wellington Dias renuncie para ser candidato ao Senado.

“O PT tem nomes que coloca à disposição para o debate com outros partidos. No atual sistema partidário, nenhum partido consegue êxito sozinho. Temos essa compreensão. O bloco de partidos da base do governo tem nomes e o PT também tem.  Se a vice-governadora assumir o governo, ela passa a ser um nome, mesmo ela afirmando que não gostaria, ela é um nome. Temos o nome do Rafael Fonteles, que é jovem, empresário e secretário da Fazenda”, destaca.

Apesar do partido ter nomes, Limma diz ser preciso ouvir as demais siglas da base. “O PT tem nomes para apresentar na discussão com os outros partidos. Quem é o grande juiz é o povo. É preciso que o nome tenha viabilidade. Isso se afere por meio de entendimentos com as lideranças e pesquisa com a opinião pública”, disse.

Discussão proporcional

O PT é contra a possibilidade do Congresso Nacional aprovar o chamado Distritão para a eleição proporcional. Segundo Limma, isso seria uma aberração.

“O distritão em si, onde o que passa a valer é a votação individual, de cada candidato. Isso é uma aberração para a democracia. Primeiro destrói os partidos e fortalece a influência do poder econômico nas eleições. Isso é ruim para a democracia. Somos defensores de um sistema democrático onde os partidos tenham regras claras e dê  o mínimo de igualdade e de condições de disputa para quem quiser ser candidato. E não favorecer apenas quem tem o poder econômico nas mãos”, destaca.

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Cidade Verde

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo