Pular para o conteúdo

Julgamento de ex-policial acusado de homicídio é adiado

Jorge Guaranho, que será levado a júri popular - @jorgeguaranho no Twitter

O julgamento de Jorge Guaranho, ex-policial penal e apoiador de Bolsonaro, acusado de matar o militante petista Marcelo Arruda, foi adiado para 2 de maio após a defesa solicitar mais tempo para analisar novos documentos.

O crime ocorreu em julho de 2022, durante a celebração do aniversário de 50 anos de Arruda. Guaranho invadiu a festa e disparou contra Arruda, que reagiu e também atirou contra Guaranho. O caso é um dos mais emblemáticos de violência política durante a disputa presidencial de 2022.

Morto
A esquerda a vítima, a direita o acusado de homicídio

Guaranho tornou-se réu em dezembro de 2022, acusado de homicídio duplamente qualificado. A Promotoria acredita que o crime ocorreu por motivo fútil e colocou outras pessoas em perigo. Em março de 2023, o presidente Lula encontrou-se com a família de Arruda e expressou sua solidariedade.

 

Com informações Folha de São Paulo

Comentários
Publicidade

Deixe um comentário

Aviso: os comentários são de responsabilidade dos seus autores e não refletem a opinião do Portal Integração. É proibida a inclusão de comentários que violem a lei, a moral e os princípios éticos, ou que violem os direitos de terceiros. O Portal Integração reserva-se o direito de remover, sem aviso prévio, comentários que não estejam em conformidade com os critérios estabelecidos neste aviso.

Veja também...

Portal Integração