Publicidades
ManchetePolíciaRegional

Justiça concede liberdade para jovem preso por tráfico de entorpecentes em Simplício Mendes

O Tribunal da Justiça, através do desembargador, Erivan José da Silva Lopes concedeu o direito de Habeas Corpus, nesta quinta-feira,06, para um jovem de iniciais H.S, de 18 anos, preso na última terça-feira,04, no município de Simplício Mendes do Piauí. Na ação o jovem foi preso pela Policia Militar com 59 kg de maconha dentro de ônibus em Simplício Mendes.

MATÉRIA RELACIONADO

PM prende jovem com 59 kg de maconha dentro de ônibus em Simplício Mendes

A apreensão ocorreu durante uma abordagem a um ônibus que faz linha interestadual de São Paulo para o Piauí. Durante as buscas nas bagagens dos passageiros foram localizados dois isopores contendo vários tabletes de substância vegetal semelhante a maconha, que pesou cerca de 59 quilos.

 

O jovem H.S. teve a defesa por meio do Escritório de Advocacia Fontes e Coriolano, representado pelos advogados Fleyman Fontes, Eduardo Rodrigues e Mayanne Lacerda, que estiveram na defesa no processo realizados com sucesso em mais um caso de grande repercussão.

 

De acordo a defesa do jovem eles defenderam que no caso seriam cabíveis medidas cautelares diversas da prisão e que o acusado foi espancado e torturado de forma cruel e que nos autos não há exame de corpo de delito e registro fotográfico do rosto e corpo inteiro, em desconformidade com 8º, §1º, II, da Recomendação nº 62 do CN.

Alegaram ainda que inexistem os requisitos autorizadores da prisão preventiva e que a eventual condenação a pena do acusado, considerando suas condições pessoais, muito provavelmente não ultrapassará o mínimo legal e que é cabível prisão domiciliar, pois o acusado testou positivo para COVID-19

 

Em sua decisão, o Desembargador Erivan José da Silva Lopes tomou por base a Lei 12.403/11, que alterou a prisão processual e possibilitou a aplicação de medidas cautelares diversas da prisão, ele entendeu que essa decisão se revela mais adequada, neste momento, para resguardar a ordem pública, garantir a aplicação da lei penal e o bom andamento da instrução.

Decisão liminar concedida

Comentários

Artigos relacionados

Fechar
Fechar