Publicidades
Geral

Mãe e três filhas separadas há 45 anos se reencontram no Piauí: “Sonhei tanto com esse dia”

Na véspera de completar 81 anos, Dona Maria Hermínia recebeu o maior presente: reencontrar as três filhas. Natália, Nazídia Silva e Iracélia foram separadas da mãe pelo próprio pai há 45 anos, ainda quando eram crianças.

No último domingo (8), a espera acabou: mãe e as três filhas se reencontraram em um sítio na localidade Nosso Céu, em Altos, Norte do Piauí, onde Maria Hermínia mora. O encontro foi marcado por muitos abraços e só se tornou possível depois que uma vizinha viu em rede social o pedido de Nazídia para encontrar a mãe.

“Sonhei tanto com esse dia. Eu tinha esperança, chorava toda noite e pedia a Deus para colocar as minhas filhas no meu caminho”, declarou a mãe.

Separação

Na década de 70, Maria Hermínia trabalhava de empregada doméstica em uma casa na cidade de Teresina. Natália tinha 1 ano, Iracélia cinco meses e Nazídia 5 anos.

Ela conta que, o pai biológico das filhas, Domingos, apareceu e falou que iria levar as três filhas para passear e passar o fim de semana com ele. Esse foi o dia da separação. Dona Hermínia ficou sem as filhas e grávida da caçula, Solange.

Dona Hermínia conta como foi a separação das filhas.(Imagem:Reprodução/TV Clube)
As duas filhas mais novas foram adotadas por famílias diferentes. Já a mais velha, Nazídia, foi morar com o pai em São Paulo, onde ela conviveu com a madrasta e outros oito irmãos.

Na época da separação, as três não entendiam o que estava acontecendo. Mas a medida que foram crescendo, as irmãs alimentavam mais a esperança de encontrar a mãe.

“Eu sempre tive a esperança que iria encontrar ela. Muitas pessoas pessimistas falavam que ela já tinha morrido. É uma história triste, mas de esperança para as pessoas encontrem os seus parentes”, declarou Iracélia Silva.

“A gente queria saber a nossa origem. Tinha medo da minha mãe não está mais viva, mas eu pedia a Deus todos os dias para reencontrar ela”, disse Natália Duarte.

Esperança do reencontro

As esperanças foram renovadas, quando Nazídia entrou em um grupo de piauienses na rede social. Ela pediu ajuda para reencontrar a mãe e postou uma foto de Dona Hermínia 45 anos mais nova.

“Eu tenho lembrança da minha mãe comigo em Barras, dela me dando banho. Depois em Teresina, em uma casa que ela trabalhou. Nós moramos em um quartinho e todas as noites ela me pegava no colo, embalava até eu dormir. Até que apareceu o meu pai falando que iria levar a gente para passear e esse fim de semana foram 45 anos”, lembrou Nazídia.

Comovido, o criador da página aprovou a postagem e pediu ajuda ao grupo. Os participantes começaram a compartilhar e cinco dias depois Maria de Jesus, vizinha de Dona Hermínia, visualizou a foto e o apelo de Nazídia.

“Eu li a mensagem [Sou piauiense e procuro minha mãe há 45 anos]. Eu tirei o print e pedi para a Solange confirmar se era a mãe dela, dona Hermínia”, contou.

Agora Maria Hermínia espera conhecer os netos e decidiu que vai morar com as filhas em São Paulo.

Mãe e filhas planejam morar juntas após 45 anos separadas.(Imagem:Reprodução/TV Clube)
Fonte: G1 PI
Comentários

Artigos relacionados

Fechar
Fechar