Marina nega aliança com PSDB e diz que campanha será luta de “Davi contra Golias”

Em coletiva no final da tarde deste domingo (13) em Teresina, a pré-candidata à presidência da República, Marina Silva, negou possibilidade de aliança com o PSDB. Segundo ela, o leque de conversas de seu partido, a Rede, é o mesmo das eleições de 2014. Na lista estão PSB, PPS, PHS, PRP e PPL. Ao lado da cúpula da legenda no Estado, Marina afirmou que o pleito pra ela vai ser uma luta de “Davi contra Golias”.

A pré-candidata classificou como “mentira” e “fake news” os boatos dando conta de uma possível aliança entre a Rede e o PSDB. “Estão tentando desconstruir a minha candidatura com os mesmos instrumentos que usaram na minha eleição de 2014. Estou hoje alertando que esses boatos são fake news”, afirmou.

Sobre a insistência do PT de lançar Lula candidato mesmo estando preso, Marina disse que a lei da Ficha Limpa deve ser para todos, já que ela impede a sua pré-candidatura. “A lei não pode funcionar para uns e outros. A lei deve ser cumprida”, declarou.

Marina reforçou que a Rede é um partido que defende projetos independentes e que não vai se coligar com legendas que levaram o Brasil ao fundo do poço.

Aliança com Aécio de 2014

A pré-candidata também foi questionada se estaria arrependida de apoiar o senador Aécio Neves no 2º turno da eleição de 2014.  “Na época nem eu e a população brasileira sabia que Dilma e Aécio estavam envolvidos nesta grande corrupção. Se fosse hoje, jamais teriam meu apoio”, destacou.

Ao falar de Aécio, ela criticou o PT por ter divulgado nota de apoio ao tucano para que ele não fosse afastado do Senado por decisão do STF.

Por ser evangélica, Marina disse ainda que defende um governo para todas as religiões. “Para quem crê e quem não crê”, declarou.

Bolsonaro

Ao ser questionada sobre o crescimento do deputado federal Jair Bolsonaro nas pesquisas, Marina Silva condenou  algumas propostas do pré-candidato, como o armamento da população. Segundo ela, combater a violência não se resolve distribuindo arma para a população e estimulando o ódio, mas com plano de segurança pública e  trabalho de inteligência.

2º  turno

Otimista, Marina Silva afirmou acreditar que estará no 2º turno das eleições deste ano e que está preparada. “Estou preparada para enfrentar o segundo turno e minha luta é de oferecer a outra face”, declarou, ressaltando que a política perdeu seu potencial de transformação.

“Acreditamos hoje em  um novo ativismo, chamado de ativismo autoral”, finalizou.

Fonte:Cidadeverde

Comentários