Pular para o conteúdo

Novo esqueleto encontrado com braceletes indica existência de templo indígena no Sul do Piauí

Arqueólogos da Universidade Federal do Piauí (UFPI) e da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) encontraram um novo esqueleto em um sítio na zona rural de Guaribas, na região do Parque Nacional Serra das Confusões, o mesmo local onde foi encontrado o esqueleto de uma adolescente enterrada com um crânio de anta.

O esqueleto é de um homem adulto, de meia idade, e foi achado inteiro, deitado com os braços cruzados e com um fragmento de cerâmica cobrindo o rosto (foto acima). O homem foi sepultado com dois braceletes, usados acima dos cotovelos, e um colar, todos feitos com centenas de contas de osso polido manualmente (foto abaixo).

Arqueólogos encontram esqueleto de indígena adulto sepultado diante de parede com gravuras rupestres em Guaribas, no Sul do Piauí — Foto: Professora Cláudia Cunha/ UFPI
Arqueólogos encontram esqueleto de indígena adulto sepultado diante de parede com gravuras rupestres em Guaribas, no Sul do Piauí — Foto: Professora Cláudia Cunha/ UFPI

“Esse uso de cerâmica em sepultamentos indígenas acontecem em diferentes estados. Já foram resgatados assim na Bahia, Sergipe, Pernambuco… É uma das formas como enterravam seus mortos”, explicou a professora Cláudia Cunha, do Laboratório de Osteoarquelogia (LOA) da UFPI.

Esse homem que teve um enterro tradicional indígena, mas dificilmente é possível determinar causa de morte de um indivíduo arqueológico. O esqueleto foi trazido para Teresina, para ser limpo e estudado.

O local onde os esqueletos foram encontrados fica diante de um paredão de rocha onde foram feitas centenas de desenhos, gravados na rocha. Para a professora Cláudia, os achados mostram que o lugar onde os dois esqueletos foram encontrados teria sido, entre outras coisas, um cemitério, um local sagrado que equivaleria a templo religioso ao ar livre para essa comunidade indígena.

“É mesmo um sítio especial. Não sabemos ainda o contexto em que as gravuras eram feitas, mas não eram coisa mundana: têm um significado religioso, simbólico. E o fato de fazerem do cemitério um sítio de arte rupestre, ou vice-versa, reforça a ideia de que é um lugar especial, como um templo”, explicou a professora.

img 3131
Gravuras feitas na rocha, no sítio onde os dois esqueletos foram encontrados, na zona rural de Guaribas. — Foto: Andrê Nascimento/ g1 Piauí

Além dos esqueletos, foram encontrados ainda ferramentas e outros materiais, que após serem estudados podem revelar outros aspectos e detalhes da vida desse grupo.

Ossos do primeiro esqueleto encontrado lá foram enviados para a França, para passarem por análises que identificam há quanto tempo foram enterrados. Segundo as pesquisas iniciais, os sepultamentos podem ter acontecido há mais de 6 mil anos.

Os pesquisadores devem ainda realizar novas visitas e escavações na região, para tentar localizar mais materiais deixados por esses grupos.

whatsapp image 2023 09 12 at 09.29.43
Arqueólogos encontram esqueleto de indígena adulto sepultado diante de parede com gravuras rupestres em Guaribas, no Sul do Piauí — Foto: Professora Cláudia Cunha/ UFPI

 

Fonte: G1

Comentários
Publicidade

Deixe um comentário

Aviso: os comentários são de responsabilidade dos seus autores e não refletem a opinião do Portal Integração. É proibida a inclusão de comentários que violem a lei, a moral e os princípios éticos, ou que violem os direitos de terceiros. O Portal Integração reserva-se o direito de remover, sem aviso prévio, comentários que não estejam em conformidade com os critérios estabelecidos neste aviso.

Veja também...

Portal Integração