Publicidades
Geral

Produção de grãos no Piauí deve alcançar marca histórica e o segundo maior crescimento do país

Em 2021 a previsão é de aumento de 9,74% em relação ao ano passado, alcançando um total de 5,4 milhões de toneladas

Nesta quarta-feira, 13, o IBGE divulgou os números do prognóstico para a safra de grãos do país em 2021, com base nas informações de campo obtidas em dezembro do ano passado. A expectativa é de que a produção de grãos no estado do Piauí em 2021 aumente 9,74% em relação ao ano passado, alcançando um total de 5,4 milhões de toneladas, um crescimento da safra de aproximadamente 478 mil toneladas. A expectativa de crescimento da produção de grãos do Piauí é a segunda maior do país, atrás apenas do Rio Grande do Sul, no qual a produção deverá ter um incremento de 34,5%

O prognóstico para a produção de grãos do Brasil neste ano também é positivo, devendo atingir um crescimento da ordem de 2,5% em relação à safra do ano de 2020, chegando a um total de 260,5 milhões de toneladas de grãos, cerca de 6,4 milhões de toneladas a mais.

Comparação da produção de grãos obtidas em 2020 e do prognóstico para 2021, por estado (e percentual de variação entre esses anos)

As informações apresentadas pelo IBGE são consolidadas através do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado por meio de pesquisas periódicas, segundo o calendário agrícola das culturas, cuja metodologia consiste no levantamento das informações através de reuniões realizadas em todos os municípios e homologada por entidades das áreas pública e privada – instituições financeiras, órgãos de pesquisas, extensão rural, secretarias de agricultura, sindicatos de trabalhadores rurais, cooperativas, associações, produtores – fundamentando todas as informações com subsídios, como pesquisas de campo em consulta aos maiores produtores, especialmente na região dos cerrados.

Produção de soja e milho no Piauí terá crescimento de cerca de 476 mil toneladas em 2021

No Piauí, a soja e o milho se destacam no prognóstico da produção de grãos para 2021. A produção da soja deverá chegar a 2,7 milhões de toneladas de grãos, um aumento de cerca de 11,1%, o que representa 270 mil toneladas a mais do que o obtido na safra de 2020. A produção de milho deverá chegar a 2,4 milhões de toneladas de grãos, um aumento de cerca de 9,4%, o que representa 206 mil toneladas a mais do que o obtido na safra de 2020.

Com menos destaque na participação total da produção de grãos do Piauí, temos o feijão, que deverá apresentar uma produção da ordem de 94 mil toneladas em 2021, um aumento de cerca de 13,5%, o que representa 11 mil toneladas a mais do que no ano anterior. O arroz deverá apresentar uma produção de 98 mil toneladas, uma redução de cerca de 5,2%, o que representa 5 mil toneladas a menos que no ano anterior.

O prognóstico de crescimento da produção piauiense de grãos deve-se a fatores climáticos observados ainda no final do ano passado, com um nível adequado de pluviosidade, que interferiu positivamente no aumento do rendimento médio das diversas culturas do estado.

Produção de castanha de caju no Piauí deve crescer cerca de 8% em 2021

O prognóstico da produção agrícola do IBGE indica que em 2021 o Piauí terá uma safra de castanha de caju da ordem de 25 mil toneladas, um incremento de 8,2%, o que representa 1,8 mil toneladas a mais que em relação ao ano anterior.

A produção de castanha de caju no estado, no curto prazo, apresenta uma tendência de crescimento da ordem de 15,6%, passando de uma produção de 21.631 toneladas em 2019 para 25.024 toneladas em 2021. Contudo, no longo prazo, percebe-se que a produção de castanha de caju tem sido bastante irregular, tendo chegado a atingir 45.773 toneladas em 2011 e caído vertiginosamente no ano seguinte para 8.923 toneladas.

Quantidade colhida de castanha de caju no Piauí, de 2011 a 2021 (em toneladas)

Ano

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

2019

2020

2021 (estimativa)

45.773

8.923

12.863

12.347

12.751

11.189

17.100

24.885

21.631

23.155

25.024

Fonte: IBGE – Produção Agrícola Municipal

Ao compararmos o prognóstico para safra de castanha de caju em 2021, de 25.024 toneladas, com a maior produção obtida nos últimos dez anos, mais precisamente no ano de 2011, quando foi de 45.773 toneladas, temos que a queda na colheita de castanha chega a 45,3% nesse período. A ocorrência frequente do fenômeno climático da seca, aliado à não renovação dos pomares de caju, são os principais fatores que tem levado à queda na produção de castanha de caju no longo prazo.

Em 2020 o país apresentou uma produção de cerca de 138 mil toneladas de castanha de caju onde apenas onze estados obtiveram colheita do produto. O Ceará foi o estado com maior produção, cerca de 85 mil toneladas (61,3%), o Piauí veio em seguida, com cerca de 23 mil toneladas (16,6%) e o Rio Grande do Norte, com 17 mil toneladas (12,5%).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: IBGE/PI – Supervisão de Disseminação de Informações

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo