Publicidades
Esportes

Temporada histórica do Palmeiras em 2020 não foi sorte

Verdão vence o Paulistão com Luxemburgo, mas só cresce tecnicamente após a chegada do Abel e conquista a Libertadores e a Copa do Brasil

Não foi a sorte que levou o Palmeiras a fazer uma temporada histórica em 2020. O título da Copa do Brasil, confirmado no último domingo, fez o Verdão encerrar o seu ano esportivo com três conquistas expressivas, algo que não ocorria no clube desde 1993, e também deixou o seu torcedor em estado de alegria.

É verdade que o projeto palmeirense começou de um jeito e precisou buscar uma nova rota no meio do caminho. Mas a ideia de dar espaço aos garotos formados pela base se manteve presente do início ao fim e fez a diferença.

O elenco do Palmeiras que fechou 2020 com título da Copa do Brasil — Foto: Marcos Ribolli

O início com Vanderlei Luxemburgo foi importante por dar respaldo aos garotos e iniciar um trabalho sem as mesmas contratações dos anos anteriores. Deu resultado com o Paulistão. A evolução técnica da equipe, porém, veio somente após a chegada de Abel Ferreira, com a transição comandada por Andrey Lopes.

Foi nessa nova busca de “identidade” que o Palmeiras embalou para as grandes conquistas. O time liderado pela comissão técnica portuguesa teve ótimos jogos, mostrou evolução técnica, recuperou confiança de jogadores, mas sofreu com a sequência física e emocional.

Além de todas as dificuldades provocadas pela Covid-19, o Verdão viu seu time com vários garotos entrar em uma rotina de jogos importantes. Não teve plasticidade em alguns momentos, ou o que alguns definem como bonito em termos táticos mais modernos, mas manteve a rotina de competição e de disputas por títulos.

É difícil questionar um estilo de jogo “mais agradável” quando a eficiência mostra o que foi feito. O Verdão de 2020 disputou todos os 79 jogos possíveis de seu calendário.

Fracassou, sim, no Mundial de Clubes da Fifa, mas venceu o Campeonato Paulista, a Libertadores, a Copa do Brasil e só não brigou no Brasileirão porque não teve fôlego para enfrentar a maratona.

O Palmeiras pode ser cobrado para melhorar sua administração financeira, para diminuir sua dívida, ter mais transparência em alguns assuntos de seu dia a dia na sede social. No futebol, deve ser – como foi – questionado pelo seu desempenho ruim no Mundial de Clubes.

Mas nada disso diminui o feito alcançado por Abel Ferreira e seus jogadores. Um time que venceu três títulos importantes e disputou todos os jogos possíveis de seu calendário em 2020 merece ser elogiado.

A temporada que acabou teve um Palmeiras histórico contra o River Plate na Argentina, um time que venceu com sobra adversários de qualidade como o Atlético-MG, goleou com facilidade o Corinthians e não deu chances para rivais como Santos e Grêmio nas decisões da Libertadores e Copa do Brasil.

Um 2020 que vai ficar para a história do Palmeiras. E 2021 já começou…

Fonte: Globo Esporte

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo