Polícia

682 ocorrências em sites de vendas e compras são registradas pela polícia no Piauí

De 2013  a 2019 Policia Civil do Piauí registrou 682 ocorrências criminais relacionadas a transações comerciais em sites de internet de venda e compra e produtos e serviços.

Os dados foram divulgados a na manhã desta sexta-feira (17) pelo delegado titular da Delegacia de Combate aos Crimes Contra a Ordem Tributária e as Relações de Consumo, James Guerra Júnior.

De acordo com o delegado James Guerra, 563 das 682 ocorrências foram tipificadas como estelionato.  “A grande maioria desses crimes foram praticados na plataforma de venda de produtos e prestação de serviços pela internet, utilizando o site OLX, onde criminosos praticaram crime de estelionato, lesando 81 pessoas em 2019”, explica o delegado James Guerra Junior.

81 casos em 2019

Somentes nos cinco primeiros meses deste ano, a DECCOTERC registrou 81 crimes no site de venda e compra , sendo 70 estelionatos.  Destas ocorrências, 44 estavam relacionadas à compra e venda de veículos, 10 por celulares e 16 de outros produtos e serviços.

“O foco da nossa gestão é a defesa do consumidor, a investigação desses crimes que tanto prejudicam as pessoas que, de boa fé, usam esses sítios de internet para comprar e vender produtos”, diz o delegado titular.

Os casos preocupam a Polícia Civil, que faz um alerta para que as pessoas não caiam neste tipos de golpe.

“Orientamos que as pessoas que busquem esses serviços nesse sites de venda e compra, mantenham a atenção e desconfiem de preços abaixo do que o mercado pratica, chequem as ofertas e não permitam a interferência de terceiros na negociação”, finaliza James Guerra.

A Polícia Civil dá dicas de como evitar ser vítima de estelionato

  • Checar as informações referentes à existência do bem negociado e verdadeira identidade do vendedor;
  • Desconfiar de ofertas que fogem ao padrão de mercado;
  • Não ir ao encontro de vendedores dos produtos em locais desconhecidos ou pouco movimentados;
  • Evitar a interferência de terceiros na negociação;
  • Conferir a titularidade e a localidade das contas bancárias onde serão feitos os pagamentos;
  • Solicitar recibo e/ou nota fiscal no ato da compra dos produtos ou serviços;
  • Levar ao conhecimento da delegacia do consumidor informações sobre falsas ofertas de produtos e/ou serviços para que sejam retiradas do site

 

Fonte: Cidade Verde

Comentários
Mostrar mais

Artigos relacionados

Fechar