Publicidades
Geral

DCE denuncia situação precária da Uespi de Picos ao Ministério Público

Membros do Diretório Central Estudantil da Universidade Estadual do Piauí, Campus de Picos, reuniram-se com um técnico da Promotoria, na manhã desta sexta-feira (17), para tratarem sobre as demandas da instituição estudantil que está abandonada pelo Estado.

Segundo João Pedro, diretor de secretaria do DCE, várias reivindicações foram levadas ao Ministério Público a fim de buscar uma solução para elas.

“Fizemos uma notificação dos desmandos que o atual Governo Estadual vem fazendo na nossa universidade. Denunciamos todos os atos que estão acontecendo na Uespi. O auxílio alimentação está com mais de 3 meses suspenso. Aguardamos respostas por parte da administração superior e do Governo do Estado e até agora nada. Estamos com o ônibus parado, completamente abandonado há três meses, sem manutenção. A gente não está podendo ter acesso a ele, que é um direito para fins acadêmicos. E a falta de sala de aula para comportar todos os nossos cursos, assim como a falta de professores”, disse o jovem estudante.

O diretor de secretaria disse ainda que além da falta de professores efetivos, o que prejudica aos cursos, há falhas visíveis na infraestrutura do local.

“Em todos os cursos faltam professores efetivos e a gente citou os mais prejudicados ao MP que são Jornalismo e Contábeis. Lá, nós também protocolamos a infraestrutura do nosso campus. Existem várias rachaduras nas paredes, a quadra também está bem comprometida, falta de manutenção nos ar-condicionados. Mas estamos aqui para tentar buscar melhorias para nosso campus, a fim de proporcionarmos uma educação de qualidade em um espaço público”, declarou.

A diretora de esporte e cultura do DCE, Mirlândia de Holanda, também apontou a falta de materiais nos laboratórios da instituição e a responsabilidade que o diretório tem em dar voz às necessidades dos alunos.

“Temos como reclamações e pautas a distância da direção do campus com relação às práticas estudantis. Estamos com laboratórios que, infelizmente, estão só existindo lá, mas que para serem utilizados não dá, pois faltam materiais, pessoas capacitadas para administrarem. Esse é um campus enorme, mas que está faltando tudo. Tudo o que é direito nosso. Vale ressaltar que o DCE foi colocado lá para ser a voz dos alunos, e nós, como estudantes, entendemos bem o que os alunos querem e necessitam, e viemos aqui para fazer essa denúncia porque os alunos reclamam de tudo isso, necessitam dessa assistência”, concluiu.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Cidades na Net

Comentários

Artigos relacionados

Fechar