Publicidades
Geral

Estudantes não conseguem pagar Enem, reclamam do MEC e temem perder provas

Candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano reclamam do prazo dado pelo Ministério da Educação (MEC) para pagar a taxa de inscrição. Muitos não conseguiram pagar a tempo, e a União Nacional dos Estudantes (UNE) tenta agora reverter a situação para os alunos não saírem prejudicados.

Em meio à pandemia do novo coronavírus, com as escolas fechadas e grande parte dos alunos dependendo de aulas on-line, o MEC prorrogou, depois de muita pressão, o prazo para que os candidatos se registrassem, mas não o tempo para pagar o Enem 2020 – que se encerrou na última quinta-feira, 28/05, um dia após o encerramento do período de inscrições.

O curto período fez com que vários estudantes deixassem de pagar o Enem deste ano e, com isso, ficassem expostos a perder as provas. O MEC ainda não se posicionou sobre o assunto, e, até decisão em contrário, quem não quitou o boleto está fora do exame.

“Desde o início, temos feito críticas sobre o cronograma do MEC. Agora, identificamos vários problemas quanto ao pagamento da taxa. Estamos pedindo um novo adiamento”, explica o presidente da UNE, Iago Montalvão.

Em outros anos, os candidatos tinham pelo menos uma semana após o período final de inscrições para pagar o boleto, alegam os alunos.

Casos

Diego Fernando, 20 anos, é um dos que não pagaram a taxa para fazer a prova. Ele se inscreveu em 11 de maio, mesmo dia em que o sistema para se candidatar foi aberto.

Ao contrário de edições passadas, contudo, o programa demorou quatro dias para gerar o boleto do pagamento. Nesse sábado, 30/05, quando foi pagar, viu que era tarde demais.

“Eu estava acostumado a fazer a inscrição, gerar o boleto e pagar na hora. Mas, neste ano consegui gerar o boleto dentro do quarto dia”, relata o estudante, que completou o ensino médio em 2016.

“Estou desesperado porque passei o ano todo estudando focado para o Enem. Fiquei abaladíssimo”, conta. Diego tenta medicina em uma universidade pública de Brasília (DF).

Outras situações

Novatos também relatam problemas. O estudante Davi Lopo, 16, inscreveu-se na quarta-feira (27/05), último dia possível, e disse ter ficado horas esperando o boleto.

“Só depois, às 11h de quinta-feira, me mandaram. Mas eu não tinha visto. Fui ver no sábado, mas já tinha passado o prazo”, conta, ao dizer que precisou pedir ajuda ao pai para pagar o Enem.

Situação semelhante aconteceu com Henrique Ribeiro, 16. “Pensei que, como eles prolongaram o prazo de inscrição, iriam adiar o prazo de pagamento também”, diz.

Para Montalvão, da UNE, quem mais está sendo prejudicado com essa “falta de compreensão” do ministro da Educação, Abraham Weintraub, são os estudantes de baixa renda.

“São os estudantes mais pobres, que têm dificuldade de acesso à internet para fazer a inscrição, por exemplo”, analisa.

Outro lado

Procurados, o Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) não responderam. O espaço segue aberto para manifestações.

O Enem 2020 recebeu 6,1 milhões de inscrições, das quais 6 milhões para a aplicação da prova impressa e 101 mil para a versão digital, segundo dados do MEC.

A maioria (78%) não precisa pagar a taxa do exame. Quem se enquadrou nos critérios de isenção foi contemplado automaticamente, sem a necessidade de fazer a solicitação no sistema.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Metropoles

Comentários

Artigos relacionados

Fechar
Fechar