Publicidades
DestaqueOeiras

Professores do Curso de História do Campus da UESPI em Oeiras iniciam Projeto de Combate a Infodemia

O Curso de História do Campus da UESPI em Oeiras iniciou nesse mês de julho o projeto Observatório Sócio-Histórico da Pandemia de Covid-19. O objetivo é combater a infodemia que tem dificultado a orientação das pessoas no enfretamento da pandemia da Covid-19. A Professora Diná Schmidt é uma das propositoras do projeto e explica que, de acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde, “a infodemia é um fenômeno que consiste no excesso de informações, algumas precisas e outras não, que tornam difícil encontrar fontes idôneas e orientações confiáveis quando se precisa.” Ela alerta afirmando que o “cenário de infodemia tem efeitos nocivos nas estratégias de combate a disseminação da doença, assim como na saúde mental da população.”

A proposta é compartilhar notícias e estudos veiculados ou realizados por universidades ou centros de pesquisas que tratem do Covid-19 ou da história das ciências e da saúde/doença em perspectiva global. A ideia é colaborar com a circulação de informações cientificamente qualificadas na cidade de Oeiras e regiões vizinhas. Uma atenção especial do observatório será dada às comunidades em situação de vulnerabilidade social e econômica. Serão feitos esforços para que orientações seguras cheguem até essas parcelas da população através de canais como Facebook, Instagram e WhatsApp. O projeto será desenvolvido em parceria com a Prefeitura Municipal de Oeiras e a Rádio Educativa Cristo Rei.

Professores do Curso de História do Campus da UESPI em Oeiras iniciam Projeto de Combate a Infodemia 2

A Professora Gabriela Berthou de Almeida, também proponente da ação extensionista, esclarece que “a defesa, a divulgação e a construção dialogada e democrática do conhecimento científico precisam ser fortemente implementadas nesse momento difícil pelo qual estamos passando.”  A docente acrescentou afirmando: “utilizaremos a internet como uma ferramenta para fazer circular o conhecimento histórico procurando elucidar questões relacionadas ao enfretamento da pandemia.”

O projeto terá duração de doze meses. Os interessados podem acompanhar a ações do projeto nas redes sociais. No Instagram podem buscar a página “historia.uespi.oeiras” (https://www.instagram.com/p/CCeX400MkC1/?igshid=9b2ozezrcksj). No Facebook basta acessar a página Observatório Sócio-Histórico (https://www.facebook.com/Observat%C3%B3rio-S%C3%B3cio-Hist%C3%B3rico-104112741378361)

 

 

 

Comentários

Artigos relacionados

Fechar
Fechar