Rádio Cristo Rei realiza debate sobre violência contra mulher

24

Na manhã desta quarta-feira, 13 de junho, a rádio Cristo Rei abriu espaço para mais um diálogo relevante que tem ocupado as páginas dos noticiários de todo o mundo: a violência contra a mulher, sobretudo destacando aspectos relevantes da lei Maria da Penha; Intitulado ‘Violência doméstica: Uma questão de gênero’.

 

A roda de conversas faz parte do projeto Lei Maria da Penha nas escolas, e que teve início no Centro Educacional Professor Balduino Barbosa de Deus “CAIC”, à frente da direção Benedita Guimarães.

Para compor essa mesa foram convidados representantes de diversos segmentos da sociedade: advogados, psicólogos, alunos, diretores, entre outros. O objetivo do projeto visa dar maior dimensão a sociedade por meio do rádio em conscientizar a mulher sobre seus direitos e deveres.

 

Na avaliação da professora Benedita Guimarães “O momento serviu de incentivo na luta diária pela a não violência contra a mulher, algo tão presente em nosso meio, mas que precisa ser trabalhado por meio da informação” afirmou.

 

Tendo em vista a relevância do tema “Violência Contra Mulher” e a grande participação de convidados e ouvintes que participaram pelo telefone e redes sociais da emissora, a roda de conversas durou duas horas (09:00 às 11) e foi mediado pelo repórter Claudevândio Macedo.

 

O Piauí possui a maior taxa de feminicídios de todo o Brasil, segundo o 11º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado no final de 2017, pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Segundo a pesquisa, que comparou dados de 2015 e 2016, do total de mulheres mortas no Piauí no ano passado, 57,4% foram vítimas de feminicídios, que é a morte pela condição do sexo feminino. A pesquisa trouxe apenas dados de 2016 referentes aos feminicídios. Quanto ao total de homicídios femininos, houve uma queda de 2015 para 2016. De 67, o número caiu para 54. Apesar disso, o Piauí lidera no percentual de mortes pela condição do sexo feminino. Enquanto a taxa no estado ultrapassa os 54%, no Brasil é de 11,4%. Participaram da mesa redonda:

 

Leidiane Ferraz -Representando OAB-Oeiras

Millena Faustino- Psicóloga Clinica

Anna Caroline- Aluna do CEEP
João Marcos- Psicólogo Clinico
Santiago Francisco- Coordenador da secretária de juventude
Eliana Lustosa- Coordenadora do CREAS
Eliane de Carvalho- Assistente social CREAS
Miguel Neto- Professor do CEEP
Benedita Guimarães- Diretora do CEEP

 

Fonte: Cristo Rei FM

Comentários