Roy von: personalidade irreverente de Oeiras

2325

Ronyston Veloso Silva é um oeirense, que expõe o seu ponto de vista nas redes sociais sem medo de críticas ou repreensão, com conhecimento em diversas áreas. Conhecido como “Roy Von der Osten”, nome escolhido como um refúgio ou uma capa de proteção para se tornar poderoso.  “Eu precisava de um personagem, na minha cabeça, que fosse fiel a quem eu sou, e que eu precisava desse álter ego para me vestir, e eu descobri que na verdade não era um álter ego, era eu mesmo com outro nome.” A inspiração surgiu de uma serie “Gospel Girl” onde o nome da protagonista é Serena Van der Woodsen e de um cliente com o sobrenome Von der Osten.

 

A infância vivida na cidade de Oeiras onde morou até os 9 anos, foi intensa e com a liberdade de ser criança em uma cidade tranquila. Roy, ficou até os 28 anos morando em São Paulo com sua mãe, uma mulher guerreira que o criou sozinha, “eu nunca tive contato com o meu pai ele foi ausente a vida inteira, a minha mãe sempre foi muito independente, e quis me dar tudo que ela nunca teve, sem me mimar, para que não me tornasse uma pessoa hipócrita. Ela foi uma “Pãe”, pai e mãe ao mesmo tempo”, relata Ronyston.

 

 

Mesmo com a ausência, Roy explica que não senti raiva do pai, e que ele não fez falta em sua vida, a carência foi suprida pela família, “eu nunca nutri ódio, e não é uma coisa que me faz falta, que me machuca, que me faça sentir diferente, tenho outros irmãos por parte de pai. Mas eu deixo as coisas acontecerem por que tem que acontecer, eu tenho tios perfeitos, avós perfeito e minhas mãe eu amo imensamente e deve a minha vida a ela, principalmente pra me inserir na sociedade, pelo fato de ser homossexual”.

 

Das experiências de outro estado Roy conta que senti falta do afeto entre as pessoas, “o fato das pessoas não dizerem bom dia, boa tarde. De não te olhar nos olhos, aqui a gente tem o costume de estar sentada nas calçadas, e os idosos passarem e cumprimentar, e lá as pessoas não se permitem tocar”.

 

Críticas nas redes sociais

ESPORTE: Vôlei

 

Projeto aula de Dança

Luard, Sandy Swamy e Roy Von

“Eu sempre gostei muito de dançar, quando a Marília me disponibilizou esse free lance na Academia Oeiras Fitness, para dar aula eu me senti lissongiado, e aceitei. Só que eu precisava de uma base pra me sentir seguro, de força, de alguém que me animo, e eu pensei ‘mas eu já tenho essa pessoa, o Luard meu amigo’, quando eu o convidei, ele disse ‘eu vou’. Eu chorei muito por que eu estava desesperado, e todo o medo a insegurança foi embora, pois ele está aqui comigo, ele tanto domina a dança, e sabe ensinar com facilidade. A aula inaugural foi gratuita, e aconteceu nesta segunda-feira, 16, a partir das 18h00. As turmas serão de segunda- feira, quarta- feira e sexta- feira das 18h00 as 19h30”, explica Roy emocionado.

Luard

Luard Lima fala sobre sua admiração por Roy e o convite de ser professor de dança ao seu lado, “eu chamo ele de irmão, quando eu vi ele a primeira vez, eu me vi nele e falei eu preciso ser amigo desse menino, acredito que seja de outras vidas, eu amo ele”, e continua. “Eu gritei ao receber o convite, eu sempre trabalhei com dança, mas só quando as escolas precisavam ou a prefeitura, eu sempre tive o desejo de ter um espaço e trabalhar dança não só uma dança especifica, mas todas e para todos, e eu falei estou voltando”.

 

Sonhos

Ao ser perguntando sobre os planos para o futuro, mais uma vez Ronyston se mostra simples e com um único objetivo, ajudar o próximo. Seja através de suas escritas ou da profissão de psicologo – que pretende cursar. Um exemplo de Oeirense apaixonado pela sua cidade e suas vivências das vida.

 

Por Sandy Swamy

Comentários