Teresina é a quarta capital com menor número de fumantes

Dados inéditos do Vigitel 2017 (sistema de vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico) indica que Teresina é a quarta capital do país com menor frequência em consumo de tabagismo. O estudo mostra que na capital piauiense 5,3% dos adultos são fumantes; o índice só é menor em Salvador (4,1%), Aracaju (4,8%) e São Luís (5,3%). Ao todo, a média nacional é de 10,1%, assim sete cidades superam esse número ((Curitiba 15,6%, São Paulo 14,2%, Porto Alegre 12,5%, Distrito Federal 11,7%, Florianópolis 11,7%, Campo Grande 11% e Rio Branco 10,7%).

O demonstrativo do Ministério da Saúde ainda realiza o detalhamento do tabagismo por sexo; em Teresina o índice de homens adultos fumantes é de 7,7%, enquanto o de mulheres é de apenas 3,3%. Em âmbito geral, as informações reverberadas pelo MS sintetizam que a frequência do consumo do tabaco entre os fumantes nas capitais brasileiras reduziu em 36%, no período de 2006 a 2017. Nos últimos anos, a prevalência de fumantes caiu de 15,7%, em 2006, para 10,1% em 2017.

Além desse indicativo, o Ministério da Saúde revela que em 2016, o número total de adultos que fumam era de 10,2%. Quando separado por gênero, a frequência de fumantes, em 2017, é maior no sexo masculino (13,2%) do que no feminino (7,5%). Se analisado por faixa etária, a frequência de fumantes é menor entre os adultos com 65 anos e mais (7,3%). Já as faixas etárias de 18 a 24 anos (8,5%) e 35 a 44 anos (11,7%) apresentaram um pequeno aumento em relação ao ano anterior, quando foram registrados 7,4% e 10%, respectivamente.

Cabe indicar que o SUS oferece tratamento gratuito para os fumantes. Nesse sentido, a população deve procurar centros/postos de saúde ou a Secretaria de Saúde do município para informações sobre locais e horários de tratamento. Para outras informações, ainda é possível consultar a Coordenação de Controle do Tabagismo na Secretaria Estadual de Saúde ou entrar em contato com o Disque Saúde 136. São ofertados gratuitamente medicamentos como adesivos, pastilhas, gomas de mascar (terapia de reposição de nicotina) e bupropiona.

Fonte:Meio norte

Comentários