Publicidades
Esportes

Viralizou: golaço do Fla, caneta em Arão, pênalti espírita (e decisivo) e seis minutos para tirar um brinco…

Protagonista do lance mais inusitado da quinta rodada da Série A foi Patrick de Paula, do Palmeiras, que levou uma bronca e quase foi substituído pela demora para tirar o acessório

Jogadas de efeito – incluindo golaços e dribles -, desabafos e declarações emocionantes, falhas, dancinhas… Você já viu um pouco de tudo aqui. Mas a 5ª rodada da Série A do Brasileirão conseguiu dar um toque de ineditismo ao Viralizou. Pela primeira vez, um brinco acabou roubando a cena numa partida pelo tempo que o meia Patrick de Paula demorou para retirá-lo: seis minutos! Tempo que o Palmeiras ficou com um a menos no duelo com o América-MG.

O “lance” gerou uma bronca dos demais atletas do Verdão e também dos torcedores, nas redes sociais. Menos mal que o Palmeiras venceu a partida. E, claro, não foi o único acontecimento de destaque na rodada, que começou com um golaço de bicicleta e uma virada espetacular logo na abertura. Confira.

Golaço de Muniz…

A quinta rodada da Série A abriu em grande estilo. No Maracanã, Flamengo e Bragantino fizeram um jogo movimentado, com cinco gols. Os dois do Flamengo foram marcados pelo atacante Rodrigo Muniz, um deles de bicicleta. Um golaço!

… e virada do Braga!

Gol de bicicleta é bonito, mas só vale um, igual aos demais. Não impediu, portanto, a vitória do Bragantino. De virada, garantida com um gol marcado no último lance da partida aos 52 minutos, num contra-ataque fulminante do Massa Bruta, quando os acréscimos haviam estourado, inclusive. O autor do gol: Chrigor, atacante homônimo do cantor de pagode.

Um brinco, uma bronca e seis minutos fora

O Palmeiras ficou seis minutos com um jogador a menos no duelo com o América-MG por conta de um brinco. O protagonista da cena inusitada foi Patrick de Paula, que entrou na partida com o acessório na orelha esquerda. Ao perceber, o árbitro Jefferson Ferreira de Moraes mandou o atleta deixar o campo para retirar o brinco – é proibida a utilização de qualquer acessório.

O jogador levou uma bronca do capitão Felipe Melo. Insatisfação e impaciência que aumentaram porque o acessório não saiu fácil – chegou-se a cogitar a substituição do meia. Após muitas tentativas, seis minutos depois o atleta voltou a campo para participar da vitória paulista.

Olha as canetas!

A rodada teve distribuição de canetas. No jogo de abertura da rodada, Helinho, do Bragantino, mandou entre as penas de Arão, que conseguiu se recuperar no lance. No duelo entre Palmeiras e América-MG, a vítima da caneta foi João Paulo, castigado por Gabriel Menino. Coincidentemente, os times dos autores dos lances venceram.

Vai para onde?

Além das canetas, a rodada do fim de semana teve dribles desconcertantes, que fizeram os marcadores passarem diretos pela bola. Como fez João Victor, do Corinthians.

Quem também abusou da habilidade – e da coragem – foi o goleiro Jaílson, do Palmeiras, em cima do atacante Ademir, do América-MG, aos 10 minutos do primeiro tempo, quando o placar ainda estava zerado.

Detalhe é que, no fim do primeiro tempo, Jaílson defendeu um pênalti cobrado por Ademir.

O choro de Luciano

O clássico paulista entre Santos e São Paulo teve momentos emocionantes. Pouco antes do segundo gol do Santos, o atacante do Tricolor Luciano se machucou e deixou o campo chorando.

Quem também se machucou no duelo foi o goleiro do Peixe, John. A partida estava no fim e o Santos não podia mais fazer substituições. Para sorte do Peixe, faltava pouquíssimo tempo para o fim do jogo.

Neblina atrapalhou o VAR

A última partida do domingo, da Série A, entre Juventude e Sport, no Alfredo Jaconi, com a visibilidade prejudicada, em razão da neblina. A situação estava tão complicada que foi comunicado que o VAR poderia não “funcionar”, caso fosse necessário acioná-lo – uma vez que não era possível observar as linhas com nitidez. Felizmente, a situação melhorou ainda no primeiro tempo e o sistema funcionou normalmente.

Pênalti espírita (e decisivo)

O fim de semana foi para o torcedor do Botafogo esquecer. Pela Série B, o time perdeu para o Náutico, por 3 a 1, nos Aflitos.Não ficou só nisso.

Na disputa da final da Copa do Brasil sub-20, contra o Coritiba, o Botafogo perdia por 1 a 0 até os 41 minutos do segundo tempo, quando conseguiu empatar a partida e levar a disputa para os pênaltis. O goleiro do Botafogo, Igor, defendeu a terceira cobrança do Coxa, de Natanael. O único a desperdiçar até a quinta cobrança.

Assim, o Botafogo ficou a uma cobrança do título. Só que o atacante Kauê mandou na trave!

O pior, contudo, estava por vir. Na sétima cobrança, Gabriel Henrique perdeu pelo Botafogo. A chance do título caiu nos pés de Igor, do Coritiba. Ele cobrou e o goleiro Igor chegou a espalmar a bola. Só que ela bateu na trave, voltou no goleiro do Botafogo e entrou, para desespero do camisa 1 alvinegro.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Globo Esporte

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo