Publicidades
Geral

Coren-PI abre processo contra enfermeiro acusado de estupro em Teresina

Conforme nota, será instaurado um processo contra o enfermeiro pelo órgão

Na manhã de segunda-feira (30) o Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren-PI) emitiu nota de esclarecimento sobre que medidas cabíveis devem ser tomadas sobre o caso do suposto  crime de estupro cometido por um enfermeiro nas dependências de um Hospital Privado, em Teresina.

Conforme a nota, será instaurado um processo contra o enfermeiro. “Repudiamos e nos juntamos a todas as vozes que pedem justiça, mas importante destacar que o fato ocorrido não seja atrelado à Enfermagem, que é composta por pessoas que trabalham diuturnamente em prol do bem-estar e qualidade de vida da população e que atuam com base nos princípios éticos e legais”, afirma o texto.

“O responsável pela prática do suposto crime terá instaurado o devido processo ético disciplinar, sendo descabida qualquer associação, direta ou indiretamente aos mais de 30 mil profissionais de Enfermagem do Piauí por fatos como esse”, completa a nota.

Coren-PI abre processo contra enfermeiro acusado de estupro em Teresina 2

Sobre o caso

O enfermeiro Ricardo da Silva Paz,  é suspeito de dopar e estuprar sua própria cunhada dentro de um hospital particular no centro de Teresina, que é referência no tratamento e prevenção ao câncer, na madrugada do último dia 31 de outubro de 2020.

A vítima é empresária e cunhada do acusado e estava como acompanhante do seu sogro quando foi convencida pelo suspeito a tomar um relaxante.

O suspeito apresentou para a polícia, documentos que solicitam a sua internação hospitalar no Hospital Areolino de Abreu e alegou distúrbios mentais.

Segundo informações, o suspeito apresentou a documentação no último dia 18 de novembro, 18 dias depois do estupro. Mas sete testemunhas do caso, colegas de trabalho de Ricardo, que foram ouvidas pela Delegacia da Mulher negam o argumento de que o acusado possua distúrbios mentais.

O caso está sendo investigado pela Delegada Vilma Alves.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Meio Norte

 

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo