Publicidades
MancheteOeiras

Economia oeirense pede socorro em meio a pandemia provocada pelo covid-19

Já é do conhecimento de todos a pandemia, que, de forma silenciosa e rápida, atingiu todo o planeta. Em alguns países gerou colapsos na saúde, finanças e outros setores que envolvem a economia. No Brasil já foram registradas 11.123 mil  mortes provocadas pela Covid-19 e 146.894 (Cento e quarenta e seis mil e oitocentos noventa e quatro) casos confirmados da doença em todo o país.

O estado do Piauí tem confirmados 1.332 casos confirmados e 45 óbitos. No município de Oeiras, até hoje segunda-feira (11), temos registros de 17, casos de covid-19, positivos, 1 curado, 3 internados 13 em isolamento domiciliar e até o momento, nenhum óbito.

Mediante a crise que assola o município de Oeiras, lojistas oeirenses explicam como ficou a situação dos comércios e como estão fazendo para manter os funcionários em tempos da Pandemia Coronavírus, já que não deve acontecer aglomeração de pessoas.

LEIA TAMBÉM

 

O gerente de uma rede de lojas, Cássio Mariano, relatou que, segundo a portaria editada pelo Governo do Estado, as lojas estão autorizadas a fazer recebimento de prestação, mas tomando todas as precauções possíveis.

“Estamos aqui no Armazém Paraíba com uma pia instalada na frente da loja, com demarcação no piso, estamos colocando álcool em gel nas mãos de todos os clientes, estamos com isolamento, a pessoa não encosta no caixa, estamos também com um som em frente da loja orientando, informando como as pessoas podem se prevenir contra a Covid-19”, disse.

Em relação ao horário de atendimento, Cássio informou que a loja está em funcionamento das 08h30min às 13h30min e que está funcionando apenas para recebimento de prestações.

“Nosso horário de funcionamento será das 08h30 às 13h30 h, estamos seguindo todas as orientações da OMS, inclusive só pode entrar na loja quem tiver usando máscara. Lembrando que a loja está em funcionamento apenas para pagamento de prestação, nenhum outro serviço no Armazém Paraíba será feito nesse momento. Lembramos também que as prestações com vencimento de 22 de março até o presente momento não acarretarão juros”.

O gerente ressalta ainda, para os seus clientes que fazem parte do grupo de risco, que não saiam de casa e que peçam para alguém da família ir até à loja pagar suas prestações. Com a antecipação dos feriados municipais, ele informa também que a loja não estará funcionando nesta sexta-feira, 08 e na segunda-feira, 11.

“O Armazém Paraíba está trabalhando com todos os cuidados para combate ao Coronavírus”, finalizou.

O comerciante do setor de confecções, Helias, fala da situação que não só ele, mas todas as micro e pequenas empresas enfrentam. “Os decretos exigem aos comerciantes que cumpram as exigências, porém não há nenhum auxilio em favor das empresas que assegurem as nossas despesas. Estamos sem nenhum movimento de caixa e no entanto temos que pagar aluguel comercial, funcionários, água, luz, entre outros tributos obrigatórios. Está ficando mais difícil a cada renovação de prolongamento de períodos com o comercio fechado, dificultando a sobrevivência das empresas”, finalizou o Elias, lojista do setor de confecções.

O contador Cícero Pereira da Silva explica que a Medida Provisória 936 foi criada para que empresas não venham a demitir funcionários no momento de calamidade pública, podendo as empresas adotantes dessa modalidade reduzir a jornada de trabalho do funcionário, assim como a redução de salário, respeitando as proporções estabelecidas pelo governo.

Segundo o contador, nessa Medida Provisória o O funcionário receberá como beneficio extraordinário, o valor acordado com sua empresa: 25%, 50% ou 70%, assim como a garantia de não ter suspendido seu contrato de trabalho por um período determinado, sem prejuízo a ambas as partes.

Economia oeirense pede socorro em meio a pandemia provocada pelo covid-19 2
Economia oeirense pede socorro em meio a pandemia provocada pelo covid-19

De acordo com o contador Cícero Pereira: “O fechamento do mercado em nossa cidade assim como no país todo, o governo decretou deixar em funcionamento apenas as empresas consideradas de serviços essenciais para a população, abertas com horário reduzido. A receita federal do Brasil viu que muitas empresas iriam sofrer, principalmente as que possuem funcionários, então criou a resolução CGSN 152/2020, que enfatiza (PARA EMPRESAS QUE FICAREM ABERTAS, CONSIDERADAS ESSENCIAIS) sobre o adiamento do prazo de vencimento do simples nacional, referente aos meses de março, abril e maio, deixando para os meses de outubro, novembro e dezembro”. E PARA EMPRESAS QUE POSSUEM FUNCIONÁRIOS DE CARTEIRA ASSINADA, foi lançado um decreto, a MP 936.  De acordo com a MP 936/2020 ficou estabelecido o pagamento pelo Governo Federal, de um benefício emergencial para os casos de redução de jornada/salário ou suspensão temporária do contrato de trabalho”, conclui o contador.

Para os comerciantes oeirenses neste momento não  há  previsão de retorno nas atividades efetivamente, estão vivendo um período de incertezas sem nenhuma solução eficaz, enquanto isso aumenta-se as dificuldades tanto para o empreendedor quanto para os funcionários que correm o risco de perderem os seus empregos a crise gera um efeito em cadeia onde todos estão sendo afetados.

 

Por Rogério Silva e Romário Britto

Comentários

Artigos relacionados

Fechar
Fechar