Publicidades
Esportes

Elogiado na missão de substituir Arão, Gomes revela cobrança de Ceni: “Me dá puxão de orelha”

Volante de 19 anos foi bem na vitória do Flamengo contra o Santos e agradou ao técnico, que alertou para que não subisse demais ao ataque e deixasse a defesa desprotegida

O Flamengo se acostumou a ter Arão à frente da defesa. Dos 56 jogos do time esse ano, ele esteve em campo em 46. Com uma lesão muscular, ele virou desfalque e abriu espaço para mais um cara nova da base: João Gomes, que foi titular no 4 a 1 contra o Santos, no domingo, e ganhou elogios.

Gomes fez apenas seu quinto jogo pelo profissional do Flamengo – três deles foram pela Libertadores. Contra o Santos, acertou 43 dos 45 passes que deu e teve a qualidade técnica destacada. Ele atuou como primeiro volante, na função de Arão, mas Rogério Ceni acredita que ele tem caraterística para jogar também mais à frente.

Fez uma partida ótima. A única coisa é que ele quer mais jogo. Ele é segundo volante de origem, não primeiro. Tem talento, tem evoluído, trata muito bem a bola. Acho que dos meninos da base acho que é um dos que tem futuro no Flamengo – disse o técnico.

Animado com o bom início e com os elogios, Gomes contou que Ceni, sabendo que ele está mais acostumado a atuar como segundo volante, o cobra bastante para não deixar a defesa desprotegida.

– Vi a entrevista e fiquei muito feliz. Assim que chegou, o Rogério me disse que prefere que eu jogue de segundo volante, participando do jogo, mas eu estou pronto para jogar de primeiro volante também, dando sustentação para defesa. Na base eu também joguei nessa posição, apesar de ter atuado mais como segundo volante. Talvez por isso eu queira sair mais para o jogo, mas aí ele me dá um puxão de orelha, manda voltar, e eu seguro para dar sustentação à zaga. Estou aqui para aprender, evoluir e ajudar o time sempre – disse ao ge o jogador de 19 anos.

Sobre a responsabilidade de substituir Arão, Gomes disse que recebeu conselhos do camisa 5 e também a cobrança de Rogério Ceni para que não seguisse apenas seus instintos e esquecesse sua função número 1 de proteger a defesa.

Fonte: Globo Esporte

Comentários

Artigos relacionados

Fechar
Fechar