Polícia

Fisioterapeuta é preso pela segunda vez por estelionato em Teresina

O Grupo de Apoio Operacional (GAO) da Polícia Civil do Piauí prendeu na manhã desta sexta-feira (15), pela segunda vez, um fisioterapeuta identificado como Willanimy Petterson Guedes de Miranda e Silva, acusado de utilizar o nome da Prefeitura Municipal de Teresina para aplicar golpes nas vítimas. Ele foi capturado em uma agência bancária no centro da Capital.

O coordenador do GAO, Joattan Gonçalves, explicou que os golpes de Willanimy estavam sendo aplicados da mesma forma quando ele foi preso anteriormente, utilizando-se do nome da Assembleia Legislativa do Piauí. Na época, quase 30 pessoas em Demerval Lobão foram vítimas do indivíduo que prometia a locação de veículos através de falsos contratos.

“Primeiro, ele cobrava uma série de documentos das vítimas para que não levantasse suspeitas. Ele sempre marcava os encontros em locais públicos para receber a documentação. A alegativa era que agregaria o veículo na Prefeitura Municipal de Teresina e, tão logo a pessoa passasse a receber a importância em dinheiro pago ao abrigo do veículo, a pessoa se auto ressarcia, iria lucrar para suprir o prejuízo que tinha gasto no serviço que ele tinha prestado de locar o veículo”, informou.

A partir da primeira vítima ele conseguia outras pessoas para aplicar os golpes. “Ele arrumava uma vítima e, através disso, conseguia outras vítimas. Enquanto isso acontecia, ele tinha que estar enrolando a primeira. Se o prazo da primeira era de 30 dias, o prazo da segunda já não poderia ser 30 e sim menor. Até que ele ludibriasse a última já teria chegado o prazo da primeira vítima e então ele já teria feito toda a transação”, completou Joattan.

No momento da prisão, foram apreendidos com Willanimy Petterson uma quantia de R$ 12.500,00, dinheiro que ele havia acabado de receber de uma das vítimas. Ele foi conduzido pelos policiais para a Central de Flagrantes de Teresina.

Antecedentes criminais

Willanimy Petterson já um velho conhecido da polícia pela prática de estelionatos. Em fevereiro deste ano, o fisioterapeuta foi preso pelo Grupo de Apoio Operacional da Polícia Civil do Piauí acusado de utilizar o nome da Assembleia Legislativa do Estado para aplicar golpes. Quase 30 pessoas em Demerval Lobão foram vítimas do indivíduo que prometia a locação de veículos através de falsos contratos. Os valores das antecipações dos contratos variavam entre R$ 5 mil até R$ 45 mil. Ele também foi preso em uma outra ocasião pelo mesmo crime, só que se utilizando do nome da Prefeitura Municipal de Teresina.

Fonte: GP1

Comentários
Mostrar mais

Artigos relacionados

Fechar