Publicidades
Entretenimento

Jogador do Flamengo mora em casa invadida e Justiça o manda sair

Ramon morava em uma casa invadida em um condomínio em Vargem Pequena, no Rio de Janeiro, próximo ao Ninho do Urubu

Ramon, lateral-esquerdo do Flamengo, atualmente tem valor de mercado avaliado em R$ 800 mil. No entanto, até bem pouco tempo atrás, o jogador morava em uma casa invadida em um condomínio em Vargem Pequena, no Rio de Janeiro, próximo ao Ninho do Urubu, centro de treinamento do clube. Nesta terça-feira, 08, a Justiça emitiu uma liminar dando reintegração de posse aos proprietários do imóvel.

A coluna teve acesso à decisão do processo, no qual os réus são Maria do Carmo Ramos, mãe de Ramon, e Márcio Francisco da Silva, agente dele. O juiz determina que eles têm 20 dias para deixar o imóvel. A assessoria de imprensa do jogador foi procurada e informou que ele já não mora mais no local. Mas fontes da coluna garantem que ele e a família estão dificultando a reintegração de posse dos donos por terem deixado móveis na casa.

A casa em Vargem Pequena está avaliada em R$ 220 mil e pertence a uma família de um casal e uma criança. E, pelo o que Ramon demonstra nas redes sociais, não faltaria dinheiro para pagá-la aos proprietários. “Quer saber como ter essa vida? Vem para a Bahia gastar R$ 50 mil em três dias”, disse ele em um vídeo no Instagram, no qual aproveita a piscina de um hotel.

De acordo com fontes da coluna, a mãe de Ramon estaria ciente de que a casa foi invadida desde que o agente do jogador colocou a família para morar no local há dois anos, sem pagar aluguel. Eles, inclusive, teriam parado de pagar o condomínio há quatro meses por saberem que precisariam sair do imóvel, já que os proprietários estavam brigando na Justiça para reavê-lo.

A assessoria de imprensa de Ramon emitiu a seguinte nota: “O atleta Ramon Ramos Lima informa que, contra si, não existe qualquer tipo de ação na Justiça. A notícia referente a uma suposta ação de despejo não reflete a realidade. É fato que Ramon morou na residência citada, que supostamente sofre a constrição judicial, durante um determinado período, e honrou com todas as obrigações de um inquilino. Vale destacar, que atualmente o jogador reside em casa própria, adquirida legalmente com meios oriundos dos seus vencimentos como atleta profissional de futebol”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Metrópoles

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo