Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email

Black Friday: fique atento aos riscos de fraudes e saiba como se proteger

A Black Friday ou sexta-feira negra se trata de um dia voltado para a promoção de vários de descontos em produtos de lojas online e físicas em todo mundo. A Black Friday acontece geralmente na quarta sexta-feira do mês de novembro, a tradição começou nos Estados Unidos, mas rapidamente se popularizou em outros países, no Brasil a primeira sexta-feira negra aconteceu em 2010.

Estamos às vésperas da Black Friday e muitas lojas já vêm anunciando preços promocionais e ofertas, porém os consumidores podem estar sujeitos a fraudes e a serem vítimas de crimes, o coordenador do Procon Oeiras, Docate Rufino alerta para os riscos.

Segundo Docate, a fraude mais comum é a maquiagem de preço que se trata da cobrança abusiva no preço dos produtos. “É aumentado o valor do produto às vésperas da Black Friday, ou seja, o produto está com um valor específico de venda no mercado e próximo à Black Friday ele tem um aumento abusivo sem ser especificado”.

Coordenador do Procon Oeiras, Docate Rufino

Para se livrar dessa cilada, o ideal é que o consumidor pesquise sobre o produto e fique monitorando o preço antes de acontecer a Black Friday. “Não caia na pegadinha do consumismo, que preciso comprar só porque está na Black Friday. Nós do Procon conseguimos saber o histórico do produto até 12 meses antes, mas o consumidor não tem como saber”, alerta Docate.

É assim, se um aparelho de celular custa 1500 reais e a loja sobre esse preço em 100% , configura crime porque houve um aumento exacerbado sem nenhuma justificativa. Para identificar se a oferta se trata de uma fraude o consumidor pode fazer um histórico de pesquisa em sites confiáveis.

Sites confiáveis contam com um cadeado na parte superior do cano esquerdo da tela e o link sempre começa com htts, outra tática é se informar sobre a reputação da empresa. Outra preocupação para as compras online é a segurança dos dados pessoais, ao disponibilizar dados como CPF e número de cartão em plataformas não confiáveis, você pode ser vítima de golpes, por isso fundamental ficar em alerta.

“O consumidor tem que saber tomar a precaução de não clicar em anúncio de Facebbok, não clicar em anúncios que vem por e-mail, não clicar em links que você recebe via WhatsApp porque a maioria desses links são maliciosos”, acrescenta Docate Rufino.

Cobrança de frete abusivo

Outro problema recorrente nas compras online é a cobrança abusiva do frete, principalmente nas regiões norte e nordeste. Trata-se de uma armadilha, o cliente encontra um produto por um preço bom, mas ao chegar no carrinho o preço é alterado por conta de um frete muito alto.

“Eu encontro uma televisão de 1500 reais, mas o frete sai por 500 reais, então não há promoção, saiu pelo preço normal, a empresa está agindo de má fé e o consumidor pode entrar em contato com o Procon de sua região, fazer a denúncia e alertar sobre a prática abusiva da empresa e configura crime contra o consumidor”.

Prazo de entrega

Nas compras pela internet os sites estipulam um prazo de entrega da mercadoria, de acordo com Docate, o ideal é espera pelo prazo que empresa deu, caso o prazo não tenha sido cumprido o consumidor já pode a partir do primeiro dia de atraso fazer a reclamação e acionar o Procon.

“A empresa tem que cumprir com a oferta e publicidade, quando ela não cumpre com o que forneceu, configura um crime de oferta e publicidade. Eu só posso lhe vender alguma coisa se eu tiver para lhe entregar, se eu não lhe entregar, estou praticando o crime de propaganda enganosa”.

Docate cita que em período de Black Friday a campeã de reclamação no Procon Oeiras é justamente problemas com prazo de entrega. “São produtos que não chegaram no prazo de entrega ou produtos com defeito”.

Direito de arrependimento na compra online, o que é?

Nas compras online, o consumidor tem o direito de arrependimento. A partir do dia em que é recebida a mercadoria você tem o prazo de 7 dias para se arrepender da compra. Isso significa que você pode devolver o produto dentro desse prazo mesmo que ele não tenha defeito ou tenha vindo com erro. Esse direito é garantido pelo artigo 49 do código do consumidor.

“É relevante salientar que esse direito só se resguarda a compra online, compra física não se aplica esse direito. Na compra física você tem direito à devolução só em caso de vício, vício é defeito. Temos o vício aparente que é quando eu noto o defeito, falta um botão na camisa e temos o vício oculto que é um defeito que não é notado de imediato”, explica Docate Rufino.

Fui lesado, como proceder?

Caso tenha sido vítima de algum crime ou seu direito foi lesado, Docate menciona que a vítima precisa reunir provas.  A pessoa deve anotar o número do protocolo, tirar prints ou fotos, juntar os documentos pessoais e se dirigir até o Procon mais próximo para formalizar a reclamação e abrir processo contra a empresa.   O Procon de Oeiras funciona no Mercado Municipal Dona Lili de segunda a sexta-feira, das 8:00h às 13:00h.

Por Sheron Weide

Comentários

Deixe um comentário

Veja também...